ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Dois padres de Pouso Alegre se encontram com o Papa no Vaticano - por Pe. Andrey Nicioli


No último dia 21 de outubro, o Papa Francisco recebeu a Comunidade do Pontifício Colégio Pio Brasileiro. Esta comunidade é formada por padres estudantes de várias dioceses do Brasil que são enviados à Roma para aprimorarem seus estudos para, ao retornarem, servirem ainda mais suas Igrejas de origem. O acontecimento também se deu dentro das comemorações dos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida. A Arquidiocese de Pouso Alegre se fez presente neste histórico momento através de seus dois padres que residem no Pontifício Colégio Pio Brasileiro: Pe. Adilson da Rocha, mestrando em Teologia Bíblica, e Pe. Douglas Ap. Marques Rocha Santos, mestrando em Teologia Moral. 

O encontro iniciou-se com uma saudação feita pelo Cardeal Dom Sérgio da Rocha, Arcebispo de Brasília e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dom Sérgio destacou a importância do Colégio para a Igreja do Brasil, pois este vêm ajudando na formação permanente dos padres brasileiros a mais de 80 anos. Em sua saudação, o cardeal também fez questão de destacar o enorme carinho que o povo brasileiro tem pelo Papa Francisco. 

Na sua saudação aos padres brasileiros, o Santo Padre fez questão de falar sobre a situação concreta que estes vivem em Roma em vista dos estudos. Papa Francisco lembrou que a vida sacerdotal se baseia em quatro pilares:  a dimensão espiritual, a dimensão acadêmica, a dimensão humana e a dimensão pastoral. Embora neste período a dimensão acadêmica seja mais acentuada, isso não pode significar um descuido das outras dimensões, advertiu Francisco.

“É preciso cuidar da vida espiritual: a Missa diária, a oração quotidiana, a lectio divina, a oração pessoal com o Senhor, a recitação do terço. Também a dimensão pastoral deve ser cuidada: na medida do possível, é saudável e recomendável desenvolver algum tipo de atividade apostólica”.

E para manter o equilíbrio entre esses quatro pilares fundamentais da vida sacerdotal, o Papa indicou como remédio eficaz a fraternidade sacerdotal que é, na verdade, como que o eixo da formação permanente na vida do padre.

“Na prática, isso significa saber que o primeiro objeto da nossa caridade pastoral deve ser o nosso irmão no sacerdócio: rezar juntos, compartilhar as alegrias e desafios da vida acadêmica”, lembrou o Papa. E contando sempre com a ajuda da Senhora Aparecida: “Para isso, contem sempre com uma ajuda particular: a ajuda da Nossa Mãe do Céu, a quem vocês brasileiros chamam de Nossa Senhora Aparecida”.

O Santo Padre também não esqueceu a situação difícil que vive o Brasil. 

"Neste momento difícil da sua história, em que tantas pessoas parecem ter perdido a esperança num futuro melhor diante dos enormes problemas sociais e da escandalosa corrupção, o Brasil precisa que os seus padres sejam um sinal de esperança. Os brasileiros precisam ver um clero unido, fraterno e solidário, em que os padres enfrentam juntos os obstáculos, sem deixar-se levar pela tentação do protagonismo ou do carreirismo. Tenho a certeza de que o Brasil vai superar a sua crise, e confio que vocês serão protagonistas desta superação", afirmou o Papa Francisco. 

 

 

Texto: Pe. Adilson Rocha

 

Publicado no dia 27/10/2017