ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

Santuário de Santa Rita de Cássia - Extrema - por Pe. Andrey Nicioli


Contato

Praça Getúlio Vargas, 09

Centro

37564-000

Extrema - MG

 

(35) 3435-1066/ 3435-3701

santuario@santuariosantaritadeextrema.org

 

Reitor e Vigário

Mons. José Dimas de Limas - Reitor e pároco

Pe. Robson Aparecida da Silva - Vigário paroquial

 

Confira os horários do Santuário

 

 

História

Em 1832 a Cúria de São Paulo, autorizou a edificação da Capela Consagrada à Santa Rita, onde ao seu redor se ampliou o número de moradores, vindas da região sul mineira e norte de São Paulo, que em moradias dispersas habitavam por estas várzeas desde 1764. 

A região foi desmembrada de Jaguary, hoje Camanducaia, e recebeu o nome de Santa Rita de Extrema, junto à imagem da Santa de Cássia, que José Alves doou juntamente com 30 alqueires de terra. Em 22 de dezembro de 1971 esta região do Extremo Sul de Minas foi elevada a Freguesia e Paróquia.

A origem do nome Extrema foi escolhido por já estar como última cidade do Estado de Minas Gerais em relação ao Estado de São Paulo. Foi elevada à Paróquia e desde esta época os moradores dispersos começaram a povoar em torno da Capela que já recebia devotos com sinais de primeiras romarias, buscando e pedindo graças pela intercessão de Santa Rita de Cássia, a qual os fiéis passaram a chamar Santa Rita de Extrema.

Sempre é possível se encontrar com romeiros chegando para visitar a Imagem da Santa em seu Santuário, que no dito popular já o conhece como tal, um lugar próprio para obter graças e bençãos.

São pessoas que vem para “pagar” as suas promessas, trazendo flores, velas, entram no Santuário estando diante da imagem, reconhecidas por Deus ter atendido seus pedidos por intermédio de Santa Rita.

O Santuário de Santa Rita de Extrema foi elevado por decreto do então Arcebispo Metropolitano, Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho - Opraem, no dia 10 de maio de 2008. Isso fez com que aumentasse a devoção que já havia, bem como o fluxo dos fiéis ao Santuário, como lugar de graça e de perdão.

A professora aposentada, Judith de Deus Olivotti Lima, participou desse processo de elevação à Santuário. 

“A elevação do Santuário foi uma iniciativa do padre José Aparecido de Cavalcanti Franco em meados do mês de julho de 2007. A motivação que o levou a elevar a Matriz de Santa Rita para Santuário de Santa Rita foi a iniciação da Novena Perpétua de Santa Rita nos dias 22 de cada mês, com a participação fervorosa da comunidade”, conta. 

Quando surgiu o projeto, também se sonhou com a entronização de uma imagem fac-símile de Santa Rita, como a que se encontra em Cássia, na Itália, e a tentativa de se conseguir relíquias ex-ossibus e ex-indumentis.

“A recepção da imagem fac-símile, no dia 10 de maio de 2008, ficará para sempre gravada na memória dos extremenses. A emoção tomou conta de cada pessoa, marcada pela fé inabalável a Santa Rita. Após a celebração Eucarística oficializada pelo Arcebispo, a Capela Mortuária de Santa Rita foi aberta à visitação pública”, lembra Judith Olivotti. 

E o Santuário foi abraçado pela população de Extrema. 

“Somos todos muito devotos. É emocionante a participação dos fiéis no Quinzenário, na Novena e na Solene Festa em homenagem a nossa Padroeira. É uma celebração de muita fé, onde a comunidade expressa o carinho, o zelo pelo Santuário e pelo belo exemplo de vida de Santa Rita”, é o que afirma a funcionária pública, Minice Maria Morbidelli.

E o município também passou a receber mais devotos e romeiros, que chegam ao Santuário de diversos municípios da região.

“Graças a Deus somos uma cidade abençoada e em franco crescimento, que ocupa posição de destaque entre as cidades vizinhas. Com a elevação do Santuário, há um recrudescimento no aspecto religioso, que se torna referência àquelas cidades na pretensão de trabalhar a fé e a devoção de seus munícipes”, afirma o farmacêutico Claudely Gonçalves Souza.

 

 

 

 

 

Publicado no dia 15/03/2017